Fimec atrai hóspedes para Novo Hamburgo e outras cidades da região metropolitana

Com um cenário favorável para a exportação, a 40ª Fimec encerrou a edição 2016 recebendo 30% a mais de visitantes estrangeiros em relação ao ano de 2015, vindos de países como Argentina, Colômbia, Equador, Peru, México, Itália, Alemanha e EUA. O público qualificado e com alto poder de decisão ajuda o mercado brasileiro a crescer na exportação, segundo o diretor-presidente da Fenac, Elivir Desiam.

Além dos milhões de dólares gerados por meio de negócios, o evento, realizado nos dias 15, 16 e 17 de março, foi responsável por trazer hóspedes e incrementar a ocupação dos hotéis em Novo Hamburgo e outros municípios da região metropolitana. No Swan Tower, os índices chegaram a 100%. A fidelização dos clientes é uma prática comum, mas outras iniciativas adotadas serviram para reforçar a cultura do bem receber. “Apostamos nas tarifas promocionais da rede e em descontos”, afirma Guilherme Henz, gerente do empreendimento.

Foram ofertados aos visitantes da Fimec outros serviços receptivos. O Locanda Hotel atendeu as necessidades dos seus clientes ao colocar à disposição dos seus hóspedes o traslado ida e volta para a feira em um carro elétrico, já que o trecho era curto. O cardápio do almoço e do jantar, por sua vez, ganhou novas opções. “Estes foram os nossos grandes diferenciais”, revelou Ricardo Port, gerente do estabelecimento. “Isto agrega valor ao negócio”, reforça o presidente do Sindihotel, Manuel Suarez.

Públicos

Além dos clientes tradicionais, os hotéis receberam hóspedes das mais diversas nacionalidades. No Ibis Novo Hamburgo, 40% vieram de países do oriente, como China e Coréia. No Union Hotel predominaram os espanhóis, argentinos, peruanos e cubanos. Para facilitar a comunicação, dominar outras línguas é parte fundamental na qualidade do serviço. No Hotel Fenac, os funcionários ajudaram a passar informações sobre atrações de lazer na cidade. Localizado em São Leopoldo, os clientes do Hotel Record foram brasileiros, mais especificamente, a equipe de montadores dos estandes que trabalharam na feira. O índice de ocupação registrou o percentual de 80% no período.  

A importância dos eventos para economia local é fundamental, pois proporciona a entrada de dinheiro novo de outras regiões. Uma das formas de compensar a falta de hóspedes, segundo Suarez é a realização e apoio aos eventos existentes, e que possam trazer visitantes aos municípios gaúchos. Com feiras como Fimec, Construsul e Mostratec, a ocupação hoteleira em Novo Hamburgo é de praticamente 100%, sendo que Campo Bom, Sapiranga, São Leopoldo, Canoas e Porto Alegre, também registram movimentação.

Diretores do Sindihotel reforçaram o posicionamento da entidade. “Os eventos trazem dinheiro novo para a sociedade e benefícios indiretos. As pessoas aumentam seu poder de compra e gastam em lazer, nos quais os motéis seriam beneficiados, incrementando a economia”, acrescenta o vice-presidente de Finanças e Patrimônio do Sindihotel, Gilberto Dionisi. 

Texto: Adriana de Barros Machado


Comments have been closed.