Turistas latino-americanos lotam hotéis no Rio Grande do Sul

Uma movimentação vem tomando conta do sul do país desde novembro do ano passado. Visitantes latino-americanos chegam ao Estado e seguem para destinos como Bombinhas, Itapema e Camboriú, em Santa Catarina, e as praias de Capão da Canoa, Torres e Praia do Cassino, no Litoral gaúcho.

Segundo o presidente do Sindicato Intermunicipal de Hotelaria do Rio Grande do Sul, Manuel Suarez, os argentinos são a maioria (70%), seguidos por uruguaios (20%) e paraguaios (10%). O fenômeno pode ser explicado por questões econômicas, com a desvalorização do real em relação ao peso. Hotéis associados do Sindihotel, e localizados nos municípios de fronteira como Santana do Livramento, Jaguarão, Chuí, e de cidades próximas, como Ijuí, Alegrete e São Gabriel estão se beneficiando com o aumento no índice de ocupação.

Mesmo que a permanência dos turistas do Mercosul esteja ocorrendo por períodos curtos – pernoite no caso dos argentinos, e dois a três dias, no caso dos uruguaios – rumo ao Litoral gaúcho ou catarinense, o fluxo dá um ânimo para empresários do setor da hotelaria, já que no verão o movimento diminui consideravelmente. “Se o quadro se mantiver, teremos uma ótima temporada de verão”, avalia Suarez.

Promoções e alimentação

O número de turistas argentinos que tem cruzado a fronteira pela aduana de Uruguaiana já é 26% maior do que o mesmo período do verão passado. A temporada promete ser histórica. O fluxo é resultado de uma combinação entre o real desvalorizado em relação ao dólar (48,5% em 2015) e o fim das restrições sobre a compra de moeda estrangeira que vigorava no país vizinho.

Além disto, o governo de Maurício Macri, que tomou posse em dezembro, contribuiu para o aumento das viagens ao decretar o fim do imposto de 35% sobre a compra de pacotes turísticos pelos argentinos. Com o fim da taxação, é possível programar o pagamento em peso e parcelar a compra em até 18 meses.

Por ter de esperar na fila até três horas, muitos acabam dormindo em Alegrete (foto). De acordo com o proprietário do hotel de mesmo nome, Adão Ramos, as expectativas para o mês de janeiro se concretizaram, com a alta de 80% de hermanos em relação ao verão passado. Além dos descontos, o empresário vem lucrando com as refeições oferecidas em um bistrô construído ao lado do empreendimento. “Oferecemos 100 lugares, e, ultimamente, cerca de 50 pessoas ficam do lado de fora”, diz ele.

Em Ijuí, o gerente administrativo do Hotel Vera Cruz, Maurício Michaelsen, também notou o crescimento de 30% no interesse por valores adotados pelo empreendimento. “Na primeira semana de janeiro recebemos 500 argentinos, e pretendemos receber o dobro nas próximas semanas. O aumento é de 20% em relação ao ano passado”, confirma.

Segundo o proprietário do Fares Turis Hotel, de Uruguaiana, Daniel Fares, o acréscimo no número de visitantes latino-americanos foi de 30%. “Para os dias 30 e 31 de janeiro estamos lotados, e já temos em torno de 50 reservas”, confirma o hoteleiro.

A Receita Federal da cidade registrou a entrada de 29 mil argentinos, somente de 1º a 4 de janeiro. “O aumento é de 40% e estamos prevendo o registro de mais de dois milhões de pessoas em passagem”, revela Jonathan Padoin, chefe da Aduana de Uruguaiana.

Uruguaios e freeshops

Os visitantes que saem do Uruguai para seguir ao Litoral gaúcho ou catarinense também têm pernoitado em Jaguarão. A gerente do Hotel Sinuelo, Ana Valeska, afirma que já está com 55% de ocupação no mês de janeiro, somente com os uruguaios. “Sentimos uma maior presença de turistas estrangeiros do que brasileiros”. Para o Carnaval, diz ela, 50% das vagas estão ocupadas.

Os visitantes deste país permanecem em torno de três dias, em média, aproveitando para visitar os freeshops e depois seguem rumo a Praia do Cassino, em Rio Grande. “Eles podem ser vistos fazendo compras nos supermercados e em postos de gasolina, pois no Brasil os produtos estão mais baratos para eles”, completa Valeska.

Colocando em prática um turismo receptivo proativo, a Associação Comercial e Industrial de Santana do Livramento fez a demarcação na cidade com bandeiras vermelhas do trajeto da aduana Uruguaia, passando pelo posto da Polícia Federal, onde acontece a imigração. A sinalização prossegue até a saída, na BR-158. No retorno, muda para a cor azul, com os dizeres “Volte Sempre”.

Também foi instalado um posto defronte à PF com banheiro masculino, feminino, fraldário, cadeiras e estofados. Estagiários ajudam a preencher formulários contendo os dados dos visitantes do Mercosul, a fim de agilizar os trâmites de entrada no país. “Nos próximos dias vamos passar um vídeo institucional contendo dicas sobre segurança no trânsito”, revelou o presidente da ACIL, Sérgio Oliveira.

Alguns dos viajantes que saem de Buenos Aires para chegar em Florianópolis (uma viagem com duração de dois dias) costumam parar em São Gabriel, que também recebe visitantes latinos vindos de Uruguaiana. Anaídes Lederes, proprietária do Hotel São Luiz, contabiliza o aumento de 20% de hermanos. O empreendimento tem diferenciais como café da manhã, piscina, restaurante e áreas de lazer para as crianças. “É uma boa clientela. E eles já pagaram as diárias antecipadamente, com cartão de crédito”, ressalta ela.

Texto de Adriana de Barros Machado


Comments have been closed.